terça-feira, 4 de agosto de 2009

Sinto-me... Envenenado...


Sinto-me esquisito, sinto-me diferente,
por cada lágrima que caiu,
por cada pensamento que me confundiu,
à espera que a dor se ausente...
Sinto-me triste, sinto-me dorido,
por cada momento difícil passado,
por cada passo que desejei nunca ter dado,
à espera de ser acudido...
Sinto-me só, sinto-me amaldiçoado,
por cada dia que anoiteceu,
por cada olhar que meu coração adormeceu,
à espera de ser novamente libertado...
Sinto-me vigiado, sinto-me guardado,
por esta noite que finalmente amanheceu,
por este amor que finalmente me prendeu,
vagueando com um beijo na mão abandonado,
à espera de se escapar,
e rapidamente se espalhar,
pelo meu corpo abalado...
Por cada veneno que superei,
Este vai-me por para sempre a sonhar ,
Lentamente por esse descanso esperarei,
Até à cura.. Nos meus lábios vieres dar...

3 comentários:

VanSneiwder disse...

Ouh gand sacana a dizer que sabe escrever poemas! até já vi poemas no livro de port, que tornam shit comparad com ist! 5*

naty disse...

Paarabéns Gonsa, o poema é Maravilhoso.
E ainda mais quando dedicado a namorada néh.Sorte pra vocês..
Beeijo

Hélder Medeiros disse...

és um artista ;-)