domingo, 8 de julho de 2007

Rosa do Amor...

O amor é como uma rosa,
que tem o seu encanto natural,
que sozinho embeleza tudo,
mas por outro lado,
tem os seus espinhos
que magoam
aqueles que tocam,
tal como
uma relação,
tem momentos inesquecíveis,
que fazem nos sentir melhor
que nunca,
mas no lado obscuro,
há aquela dor,
aquela dor espinhosa,
que perfura a pele,
e faz com que sangue
caia em gotas de dor...
Depende da maneira
que se segura na rosa,
ou seja,
como se traça o destino,
que pode ser dois,
o vermelho vivo da paixão,
ou o negro das trevas,
do amor perdido,
sem nenhuma salvação...
Quem disse que o amor
era uma rosa sem espinhos...

5 comentários:

Anónimo disse...

You are totally right dude this poem is right
Love is tuff
But I'll not quit
This poem inspired me
Thanks dude
You are a 5* friend

mana do teu bro disse...

amei
olha gonxalo x eu n t conhexe s come conhex diria k es 1 poeta


ps n k dizer k n sejas(ou venhas a xer)

Paula disse...

Este poema é a prova que tu, por mais espinhos que tenha a vida, vais ser um poeta muito feliz!

Anónimo disse...

Tens mm jeito pa isto...es mt poetico
Continua assim

Anónimo disse...

E' lindisimu est poema!

Mm lindu!


Tens mt jeitinhuz!!

Bjinhuz*

^^